Home > Notícias > Acontece > Indústria de máquinas mostra recuperação

Indústria de máquinas mostra recuperação

05/07/2017

Faturamento líquido do setor em maio foi 24% maior que abril

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), as exportações brasileiras de bens de capital mecânico somaram US$ 705 milhões em maio, um aumento de 12,3% sobre abril e de 1,3% em relação a maio do ano passado. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2017, as vendas externas renderam US$ 3,33 bilhões, um crescimento de 1,1% em comparação com o mesmo período de 2016. “Houve uma forte queda acentuada em abril e uma recuperação em maio, mas isso já é sazonal”, segundo Mario Bernadini, o diretor de competitividade da entidade.

O crescimento em maio sobre abril foi puxado pelas vendas externas de máquinas para a indústria de transformação (27,1%), máquinas para logística e construção civil (25,5%) e máquinas para bens de consumo (23,5%). No acumulado do ano, o segmento de máquinas agrícolas segue em destaque, com avanço de 51%. De acordo com a Abimaq o segmento está retomando esse crescimento, que teve queda em 2015. “O setor está melhor do que qualquer outro setor da economia e o câmbio já começou a se tornar competitivo para o setor”, destacou o presidente do Conselho da ABIMAQ, João Carlos Marchesan.

Nos cinco primeiros meses de 2017, a América Latina se manteve como maior mercado das máquinas do Brasil, puxado pelo Mercosul, que aumentou em 27,9% suas importações do País. Os Estados Unidos vêm em segundo lugar em total adquirido e com crescimento de 3,6%. As vendas para a Europa e para a China caíram 25,6% e 28,4%, respectivamente.

O faturamento líquido da indústria brasileira de máquinas e equipamentos somou R$ 6 bilhões em maio, 24% maior que em abril e 5,3% superior ao de maio de 2016, interrompendo uma sequência de 25 meses de queda. No entanto, no acumulado do ano o setor registrou queda de 7,1%, para uma receita total de R$ 26,135 bilhões.

O crescimento das exportações e do faturamento em maio não se refletiu na geração de empregos. O mês passado terminou com 291, 2 mil pessoas ocupadas no setor, o que representou ligeira queda de 0,2% em relação a abril e um recuo de 5,6% em comparação com o mesmo mês de 2016. (fonte: Petronotícias/Abimaq)