Home > Notícias > Acontece > Brasil precisa capacitar 10,5 milhões de trabalhadores até 2023

Brasil precisa capacitar 10,5 milhões de trabalhadores até 2023

08/10/2019

Estudo do Senai aborda mão de obra qualificada para as fábricas até 2023

Brasil precisa capacitar 10,5 milhões de trabalhadores até 2023

De acordo com o Mapa do Trabalho Industrial do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Brasil vai precisar qualificar 10,5 milhões de trabalhadores para atividades industriais nos níveis superior, técnico, curso profissional e aperfeiçoamento nos próximos quatro anos. O universo da mão de obra qualificada para as fábricas até 2023 equivale a 80% do total de desempregados no Brasil atualmente (12,8 milhões).

O estudo do Senai mostra ainda que a estimativa é de que o aumento de vagas para condutor de processo robotizado no período será de 22,4%, quase três vezes mais do que a expansão média de 8,5% prevista para as ocupações industriais. “Esse resultado reflete as mudanças tecnológicas e a automação do processo de produção, que demandará cada vez mais profissionais na área de implementação de processos robotizados”, diz o estudo.

De acordo com a instituição, a inserção da tecnologia na indústria está ganhando velocidade e, tanto para quem está desempregado quanto para quem está entrando no mercado de trabalho, o aprendizado deve ser uma premissa. Já a empresa deve estar atenta à questão da competitividade.

A instituição ligada à CNI, que oferece cursos com conhecimentos de base industrial, estima que as áreas que mais vão demandar formação profissional são transversais, com os profissionais trabalhando em pesquisa e desenvolvimento, controle de produção e desenhistas industriais, que atuam em várias áreas.

Nessa especificação será necessário qualificar 1,7 milhão de trabalhadores. Nas ocupações tradicionais da indústria, metalmecânica (1,6 milhão), construção (1,3 milhão) e logística e transporte (1,2 milhão) são as que mais vão demandar trabalhadores qualificados, seguidas das indústrias de alimentos (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil) e energia e telecomunicações (359 mil). Embora essas funções se caracterizem por conhecimentos de base industrial, esses trabalhadores podem atuar tanto na indústria quanto em outros setores.

Apenas nos empregos de nível superior, as áreas que mais precisarão de profissionais qualificados até 2023 são informática (368 mil), gestão (254,8 mil), construção (81 mil), metalmecânica (56,4 mil) e produção (40,3 mil). No nível técnico, as demandas se concentram nos segmentos de logística e transporte (495,2 mil), metalmecânica (217,7 mil), energia e telecomunicações (181,4 mil), eletroeletrônica (160,4 mil), informática (160 mil) e construção (120,9 mil). (Fonte: Agencia Brasil/Estado de Minas)