Ir à entrada do site Envie um e-mail Siga-nos no Facebook Assista à Gühring TV
 
 
NEWSLETTER
                                Curta a
  TV Gühring            nossa página YouTube Facebook
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Compartilhar em outras redes
ISO 9001 - GÜHRING ISO 9001
Home  /  Novidades  /  Gühring  /  MELHORES VENTOS DO BRASIL SUPREM...  

MELHORES VENTOS DO BRASIL SUPREM ENERGIA NO NORDESTE


Região é considerada uma das maiores fronteiras eólicas do mundo

energia eolica

Das 5.141 turbinas instaladas no país, 82% estão no nordeste. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), nos próximos três anos, os investimentos em novos parques devem chegar a R$ 40,8 bilhões. Segundo a presidente da entidade, Elbia Gannoum, cada megawatt de capacidade instalada representa 15 postos de trabalho na cadeia produtiva. Considerando que entre 2017 e 2019 estão previstos mais 6,8 mil MW de potência, o setor pode gerar 102 mil postos de trabalho.

A energia eólica já é responsável por mais de 30% do abastecimento no nordeste. Na região de Icaraí de Amontoada, costa oeste do Ceará, os parques eólicos estão entre os mais eficientes do planeta. Pela intermitência característica da fonte, na média mundial, parques eólicos produzem por ano 25% de sua capacidade instalada. As 31 torres que compõem o parque eólico de Amontoada produzem 56% da capacidade anual.

Por conta dos ventos fortes e constantes, o nordeste brasileiro é tratado como uma das maiores fronteiras eólicas do mundo.  O Brasil já ocupa a 10ª posição entre os países com maior capacidade instalada. Até 2008, a potência do parque brasileiro era de 27 megawatts (MW). Agora, já atinge a marca de 9,7 mil MW, volume de energia suficiente para atender 45 milhões de habitantes.

Não é difícil entender a rápida expansão das eólicas no Brasil. Em 2008, com a crise internacional, o consumo mundial de energia despencou, paralisou uma série de projetos e deixou as fábricas ociosas. Em busca de demanda, elas desembarcaram no Brasil - onde o uso da energia crescia a taxas de dois dígitos - e derrubou o preço das eólicas, até então caras por aqui. A partir de 2009, com leilões dedicados a essa fonte de energia, os investimentos decolaram. De lá pra cá, o setor recebeu R$ 67 bilhões, segundo dados da Abeeólica. (fonte: Estadão/Abeeólica)

 
 
Gühring Brasil ·  Av. Tranquillo Giannini, 1051  ·  Distrito Industrial  ·  13329-600 Salto, SP  ·  T 11 2842-3066 · F 11 2842-3091