Ir à entrada do site Envie um e-mail Siga-nos no Facebook Assista à Gühring TV
 
 
NEWSLETTER
                                Curta a
  TV Gühring            nossa página YouTube Facebook
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Compartilhar em outras redes
ISO 9001 - GÜHRING ISO 9001
Home  /  Novidades  /  Gühring  /  CRISE DERRETE O MERCADO DE AÇO  

CRISE DERRETE O MERCADO DE AÇO


Queda no setor industrial tem impactado fortemente o consumo doméstico

aço derretido

O Instituto Aço Brasil (IABr) acaba de divulgar que o consumo aparente de aço – que compreende as vendas domésticas das siderúrgicas e as importações –  deverá somar 22,333 milhões de toneladas, contra 24,638 milhões de toneladas em 2014. Com isso, as vendas no mercado interno deverão somar 18,324 milhões de toneladas neste exercício, volume 15,6% inferior ao verificado no ano anterior, quando elas chegaram a 20,738 milhões de toneladas.

A constante queda na comercialização de produtos siderúrgicos no mercado nacional fez com que o IABr  revisasse para baixo, mais uma vez, as projeções para o setor neste exercício. Se no fim do ano passado a entidade estimava que o consumo de aço no país iria crescer 2% neste ano sobre 2014, agora é aguardada retração de 12,8%. As projeções da produção de aço bruto também foram revistas e chegam a 3,4% na mesma base de comparação.

Segundo o presidente-executivo do IABr, Marco Polo de Mello Lopes, “as perspectivas negativas são resultado da perda de ritmo do setor industrial, que tem impactado fortemente o consumo doméstico”. Ele define o atual momento como "o pior da história" do setor siderúrgico brasileiro, superando  o ano de 2008 e 2009.

“Naquela época, chegamos a ter o fechamento de seis dos 14 altos-fornos, mas com a diferença de que, quando a crise chegou, o setor estava forte, capitalizado, vindo de um período de crescimento. O que não acontece agora, tendo em vista que vínhamos em queda", explica.

Na avaliação de Lopes, a situação é preocupante, pois além da economia estagnada e da falta de competitividade do país, o cenário sobre oferta de aço no mercado internacional está se agravando. As estimativas são que a sobra de capacidade atinja cerca de 700 milhões de toneladas neste ano. Diante disso, o setor já trabalha com umas das menores taxas de utilização da capacidade instalada dos últimos anos, tendo atingido em junho a média de 69,9% da capacidade total. "Deveríamos estar operando acima de 80% e estamos num patamar muito inferior ao que seria razoável", admite Lopes. (Fontes: IABr e Diario do Comércio)

 
 
Gühring Brasil ·  Av. Tranquillo Giannini, 1051  ·  Distrito Industrial  ·  13329-600 Salto, SP  ·  T 11 2842-3066 · F 11 2842-3091