Home > Notícias > Acontece > BRASIL QUER VAGA ENTRE OS MAIORES PRODUTORES

BRASIL QUER VAGA ENTRE OS MAIORES PRODUTORES

04/06/2014

Para isso tem investido pesado para chegar lá.

Até 2018 o país deve acumular US$102 bilhões em investimentos na área e uma produção próxima a 4,2 milhões de barris de petróleo. Calcula-se que até 2035, o Brasil deva produzir algo em torno de 6 milhões de barris/dia e assim se tornar o sexto maior produtor de petróleo do mundo, com uma participação de 6,1% na produção internacional. A previsão é da Agência Internacional de Energia (AIE), organismo internacional integrada por 29 países. 

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, informou que, em maio deste ano, na média, o pré-sal correspondeu a 22% do que foi produzido pela Petrobras no período, e alcança resultados crescentes. No mês de abril, o Brasil produziu média de 411 mil barris/dia no pré-sal das bacias de Campos e Santos. No dia 11 de maio, bateu recorde na produção, com 470 mil barris/dia. “Estamos muito próximos de fazer 500 mil barris /dia. Hoje, olhando 2010 e 2014, a produção no pré-sal cresceu dez vezes”, segundo Graça. No acumulado até 2013, a Petrobras investiu no pré-sal US$ 20 bilhões em atividades de exploração e de produção. “Estamos em uma fase em que 52% das reservas do Brasil, considerando as reservas provadas e volumes potencialmente recuperáveis, são reservas no pré-sal”.

Os estudos da AIE indicam ainda que o quadro da matriz energética mundial, no período de 2011 a 2030, se manterá predominantemente fóssil, em que o petróleo estará firme como a fonte de energia mais consumida. De acordo com a presidente da Petrobras, em termos renováveis, tem um crescimento em especial de energias solar e eólica, mas, ainda assim, vai ter predomínio de petróleo em 2030.

Graça Foster defende ainda a necessidade de mais investimentos em produtividade na indústria naval. Ela acrescentou que 12 refinarias estão sendo construídas no Brasil e mais duas serão iniciadas. “Significa que teremos petróleo para atender à nossa demanda e ainda certamente o Brasil se tornará um exportador de petróleo”, completou. (fonte: Agência Brasil e AIE)