Home > Notícias > Acontece > Suporte para empresas que pretendem adotar a indústria 4.0

Suporte para empresas que pretendem adotar a indústria 4.0

29/03/2018

Governo lança pacote para empresas que pretendem inovar e habilitar novas tecnologias

A indústria brasileira enfrenta o desafio de aumentar sua competitividade no cenário global impactado pela 4ª Revolução Industrial. O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), acaba de lançar um conjunto de medidas para auxiliar o setor produtivo, em especial as pequenas e médias indústrias, em direção ao futuro da produção industrial.

A expectativa é atuar na superação dos desafios da indústria, apoiando a inovação nas empresas brasileiras tendo como foco a adoção de tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0. A iniciativa envolve atualmente Finep, BNDES e BASA, cujas linhas de crédito, com perfis distintos, somam cerca de R$ 9,1 bilhões.

“A recuperação da economia brasileira e a melhoria do ambiente de negócios trazem oportunidades para o investimento em inovação e a transformação das plantas industriais atuais em fábricas inteligentes e modulares”, explica o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge.

A Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 é resultado de debate com o setor produtivo nacional, liderado pelo MDIC nos últimos nove meses. As medidas contemplam ações que vão da difusão deste novo conceito à disponibilização de linhas crédito mais acessíveis para que indústrias de todos os portes possam investir na adoção ou geração de novas tecnologias.

O conjunto de medidas, estruturado a partir do conceito de jornada para a indústria 4.0, prevê amplo suporte ao empresário que pretende seguir o caminho da transformação digital. “Eficiência, controle de processos, qualidade dos produtos e segurança dos trabalhadores se impõem hoje como condição para o setor produtivo avançar rumo à indústria 4.0”, diz Jorge. O ministro acrescenta ainda que esta Agenda também prevê aumento de competitividade da indústria nacional, hoje um grande gargalo do setor.

“A indústria 4.0 deve mobilizar imediatamente nosso setor produtivo. O futuro da economia brasileira necessariamente passa por essa nova Revolução Industrial. A sociedade e todas as esferas do poder público também precisam estar preparadas para esse novo tempo. Precisamos de um esforço conjunto, que posicione o Brasil estrategicamente nesse contexto global”, explica o presidente da ABDI, Guto Ferreira.